Perícias de comparação de locutor é tema de treinamento no INC

Perícias de comparação de locutor é tema de treinamento no INC

A Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp-MJ) realizou de 8 de abril a 3 de maio a segunda etapa do Programa de Capacitação em Perícias de Comparação de Locutor. O treinamento aconteceu no laboratório de evidências multimídia do Instituto Nacional de Criminalística, em Brasília, e contou com a presença de 19 peritos criminais estaduais.

Representando diversas unidades da Federação, os alunos tiveram aulas multidisciplinares com profissionais das áreas de linguística, fonoaudiologia e engenharia. Peritos criminais e professores universitários ministraram essa etapa do programa.

“Trata-se de um programa de capacitação de peritos criminais com o objetivo de prepará-los para realizarem exames de comparação de locutor. Iniciado em 2018, o programa conta com quase 400 horas de aulas presenciais, 36 peritos participando, sendo que a última etapa ocorrerá ainda este ano”, afirmou André Morisson, diretor da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF) e um dos organizadores do programa. “Em muitas apurações envolvendo organizações criminosas, a voz é único vestígio capaz de vincular o autor à materialidade do crime”, completou.

Especialista da área de Registros de Áudio e Eletrônicos, o perito da Polícia Federal Alessander Florindo da Silva destaca que o programa é direcionado exclusivamente a peritos criminais estaduais. “Permite a uniformização dos procedimentos envolvidos no exame e é a única oportunidade desses colegas se capacitarem na área, já que não outra instituição no país fornecendo esse tipo de treinamento.”

Aprendizado

Andressa Boer Fronza, perita criminal de Santa Catarina, ressaltou sobre a importância da troca de experiências. “A perícia de comparação de locutores é um dos exames mais complexos e essa oportunidade de fazer a capacitação com professores experientes e renomados da área é única”, disse.

Do Ceará, o perito Tiago Samir ponderou que a demanda de exames de comparação de locutor em seu estado de atuação tem crescido significativamente. “Um dos pontos mais interessantes do curso é a diversidade. Nós temos peritos de vários estados e isso também ajuda muito no aprendizado sobre a variabilidade de nossa língua.”

Para o perito Anaximandro Soares Coimbra, de Roraima, capacitações são sempre necessárias. “Essa troca de experiência é importante para o aspecto técnico da perícia criminal. Essa iniciativa da Senasp faz com que os estados tenham condições de fazerem os exames de forma nivelada e com mais qualidade”, afirmou.

Apoio

O programa tem o apoio da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), da Associação Espírito Santense de Peritos em Criminalística (AEPC), do Sindicato dos Peritos Criminalísticos do Estado de Rondônia (Sinpec-RO), do Sindicato dos Peritos Oficiais de Santa Catarina (Sinposc) e do Sindicato dos Peritos Oficiais de Sergipe (Sinpose).